Você sabia que 80% do Emagrecimento está ligado ao que você come e não a prática de exercícios físicos?!

E para facilitar a sua vida, compilei um Cardápio Completo revelando quais são os alimentos saborosos e de baixas calorias para todas as refeições do seu dia. E de bônus - vou te entregar 6 Listas com os tipos de legumes, grãos, chás, temperos e frutas que você deve consumir se deseja Emagrecer mais rápido.

Fique tranquila! Site consciente - NO SPAM 100%

Quais os benefícios do gengibre para saúde, e porque é tão utilizado?

Quais os benefícios do gengibre para saúde, e porque é tão utilizado?

Quais os benefícios do gengibre para saúde, e porque é tão utilizado?

Por detrás de um sabor “ardido” pode haver mais saúde do que você imagina, agora vamos entender bem melhor o por quê dos inúmeros benefícios do gengibre para saúde.

O Gengibre (Zingiber officinalis) é uma planta medicinal conhecida há mais de 5000 anos pelos povos do oriente (especialmente China e Índia), cujos rizomas (caules subterrâneos que acumulam substâncias nutritivas) são bem descritos nos antigos pergaminhos chineses e textos sãnscritos da medicina Ayurvédica.

É catalogado ainda não apenas nas Farmacopéias da Medicina Tradicional Chinesa, Ayurvédica e Unani, como também em diversas Farmacopéias de referência no mundo e nas Monografias (como a ESCOOP – European Scientific Cooperative On Phytochemistry), sendo que seus usos bem oficializados são:

1-Agente antiemético em casos de cinetose (por balanço de veículos), pós operatório e mesmo na gravidez.

2-Agente antidispéptico e digestivo em casos de digestão lenta, meteorismo, cólicas e gases, além de ser colerético e colagogo (útil em caso de refeições gordurosas).

benefícios do gengibre para saúde

Os rizomas do Gengibre nos ensinam que por detrás do ardor (pelo Shogaol, Gingerol e Zingerona) há mais benefícios do que se pode imaginar! (Fonte: Ginger rhizomes (Zingiber officinale): A spice with multiple health beneficial potentials, PharmaNutrition 5 (2017) 18–28)

Nos seus rizomas de sabor pungente (um ardor similar ao das pimentas – mas que eu particularmente defino como uma exótica mistura de ardor de pimenta com frescor de mentol)…

São reconhecidos como compostos ativos o seu óleo essencial e um grupo de compostos fenólicos designados como Gingeróis e Shogaóis.

Tais compostos tem sido reputados como os agentes das ações oficializadas desta planta, mas além destas outras já são reconhecidas não apenas in vitroin vivo e clinicamente, das quais vale ressaltar:

Ação Gastroprotetora –

A despeito de sua pungência marcante, o Gengibre demonstra in vivo reduzir os danos nas glicoproteínas das mucosas digestivas e com isso uma promissora ação preventiva de úlceras.

Ação Indutora da aborção –

Uma linha de pesquisas in vivo mostrou que cobaias alimentadas com extratos de Gengibre por 8 semanas apresentaram melhoria na absorção de ferro, zinco, cálcio e beta caroteno.

Foi constatado que os compostos desta planta induzem mudanças nas estruturas dos enterócitos, aumentando o perímetro e comprimento das microvilosidades, com isso favorecendo a absorção dos nutrientes citados (em especial os micronutrientes).

Ação Antilipidêmica –

Da mesma forma que se observa a melhoria na absorção de determinados nutrientes, o consumo regular de Gengibre também demonstrou reduzir a absorção de fosfolipídeos por um mecanismo de modulação nos enterócitos.

Isso também está relacionado à sua capacidade de estimular a produção de sais biliares (ação colerética e colagoga) mas o fato é que os estudos também elucidam que compostos desta planta, como:

A Gingerenona, interferem com a adipogênese, o metabolismo lipídico indutor da obesidade e o catabolismo lipídico.

Outros ensaios in vivo mostram que o consumo regular de extratos do Gengibre contribuem para redução dos níveis sorológicos de triglicerídeos e colesteróis…

Com isso revelando uma desejável ação preventiva de quadros cardiopatológicos como o infarto e a aterosclerose.

Ação Antidiabética –

Há ensaios in vitroin vivo e clínicos mostrando que os Gingeróis e Shogaóis nos extratos do Gengibre detém uma ação anti hiperglicêmica…

Que parece estar relacionada à sua capacidade de melhorar a sensibilidade à insulina e aumentar sua liberação.

O consumo regular demonstra reduzir os índices glicêmicos mesmo em pacientes com diabetes tipo 2, somado ao fato que suas propriedades antioxidantes minimizam o stress glicêmico e suas consequências (como as neuropatias periféricas).

Ação Antioxidante – Os Gingeróis junto com outros compostos polifenólicos do Gengibre revelam um alto potencial antioxidante in vitro e in vivo

Que envolve deste a proteção contra Espécies Reativas de Oxigênio (ROS no inglês), supressão da peroxidação lipídica…

Potencialização dos mecanismos intrínsecos de antioxidação (superóxido dismutase por exemplo), inibição da via do óxido nítrico e da enzima ciclooxigenase-2.

Estes dados mostram que paralelamente à ação antioxidante, que protege especialmente os neurônios e células hepáticas, temos nos extratos desta planta uma desejável ação protetora contra agentes xeobióticos.

Ação Anti inflamatória –

Assim como exerce uma notável ação antioxidante, os extratos do Gengibre também agregam uma ação anti inflamatória, que é bem documentada nos ensaios in vitro e in vivo.

Sua ação em ambas as enzimas ciclooxigenases revela inibir a cascata do ácido araquidônico, que é atestada mesmo em quadros crônicos como a artrite reumatóide.

Os compostos reputados nesta ação são os Gingeróis, Shogaóis, a Zingerona e o óleo essencial, sendo que os ensaios clínicos mostraram uma ação fraca no uso pontual frente a alguns AINEs usuais como o Ibuprofeno.

Tem se proposto que o consumo frequente pode ser mais vantajoso para reduzir as dores decorrentes de processos inflamatórios.

Ação Anticancerígena –

Os compostos Gingeóis, a Zingerona e a Zerumbona demonstram uma promissora ação quimioprotetiva in vitro e in vivo contra células tumorais.

Estudos realizados ao longo de 10 anos com diferentes modelos celulares tumorais mostram que os extratos do Gengibre detém ação antiproliferativa e antipromotora contra:

Células de Linfoma T, Câncer de Próstata, Câncer Pancreático, Câncer de Cólon, Câncer Gástrico e outros como a Leucemia Monocítica Aguda e o Carcinoma Ascite de Erlich.

A capacidade antiproliferativa dos componentes do Gengibre podem servir de base para futuros fármacos na prevenção e tratamento de alguns tumores.

Há muitas ações farmacológicas no Gengibre que a ciência vai corroborando da sabedoria antiga! (Fonte Ginger rhizomes (Zingiber officinale): A spice with multiple health beneficial potentials, PharmaNutrition 5 (2017) 18–28)

Não sendo apenas estas ações há muitas outras que se encontram em estudo e mostram que os antigos usos desta planta são de fato bem fundamentados…

Como o seu uso clássico em doenças do trato respiratório – os extratos do Gengibre amenizam tosses e os sintomas da asma.

Assim vemos que a sabedoria antiga ainda tem muito a nos lembrar do valor medicinal e funcional de muitos alimentos e especiarias.

O Gengibre é a expressão de um alimento com múltiplas propriedades benéficas que justificam seu consumo, mas que decerto não deve ser exagerado pois pode interferir com fármacos anticoagulantes…

potencializar fármacos antilipidêmicos e ser prejudicial para pessoas com tendência a litíase biliar (também não é recomendado para pessoas que fizeram colecistotomia).

Seu crescente consumo de fato se justifica pelos muitos benefícios, seja na forma das clássicas conservas (conhecido como Shoga-Gari, que eu adooooro!!) ou mesmo in natura pulverizado ou em rodelas, até os extratos farmaceuticamente padronizados.

E caso alguém queira mais dados científicos sobre esta notória raiz, que é parente do Açafrão da Terra ou Cúrcuma (ambas são da mesma família), eu recomendo estas leituras:

Assessment report on Zingiber officinale Roscoe, rhizomaEuropean Medicines Agency (2012) disponível em https://www.ema.europa.eu/en/documents/herbal-report/final-assessment-report-zingiber-officinale-roscoe-rhizoma_en.pdf

Bioactive Compounds and Bioactivities of Ginger (Zingiber officinale Roscoe)Foods (2019), 8, 185; doi:10.3390/foods8060185

Ginger (Zingiber officinale Roscoe) in the Prevention of Ageing and Degenerative Diseases: Review of Current EvidenceEvidence-Based Complementary and Alternative Medicine Volume 2019, Article ID 5054395, 13 pages Ginger (Zingiber officinale Roscoe) in the Prevention of Ageing and Degenerative Diseases: Review of Current Evidence

Ginger rhizomes (Zingiber officinale): A spice with multiple health beneficial potentials, PharmaNutrition 5 (2017) 18–28

Zingiber officinale Roscoe (pharmacological activity)Journal of Medicinal Plants Research (2011), Vol. 5(3), pp. 344-348

Augusto Barros ·11 de fevereiro – Mestrado Química de Produtos Naturais & Farmacognosia, Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) (Formou-se em 2011)

O Guia Completo dos Açúcares: o bom, o ruim e como substituí-los

O Guia Completo dos Açúcares: o bom, o ruim e como substituí-los

Eu emagreci 32 Kg e sem dúvida uma das coisas que fez toda a diferença, foi conhecer os vários tipos de açúcar e aprender a utilizá-los da maneira correta!!

Fique tranquila! NO - SPAM e 100% seguro.

0 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

error: Content is protected !!